Doutoramento em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Ensino

Doutoramento em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Entrou em funcionamento no ano letivo de 2008/2009. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 240 (4 anos).

Objetivos

Objectivos genéricos. O Doutoramento em Engenharia Electrotécnica e de Computadores (PDEEC) visa preparar investigadores com capacidade para a realização de actividade de investigação autónoma e de liderança em processos de inovação na área científica da Engenharia Electrotécnica e de Computadores, quer em ambiente universitário quer em ambiente empresarial.

Este 3.º ciclo complementa a formação de base dos candidatos pelo aperfeiçoamento de estudos e pela investigação e desenvolvimento em áreas de conhecimento emergentes. Após a conclusão do ciclo de estudos, os candidatos ficarão aptos a liderar, com rigor científico e actualidade tecnológica e metodológica, processos envolvendo a análise, concepção, modelação, produção e operação de sistemas avançados e inovadores no domínio da Engenharia Electrotécnica e de Computadores.

Objectivos específicos. Para além destes objectivos genéricos, os seguintes objectivos específicos são estabelecidos para cada uma das especialidades possíveis:   

  • Controlo e Decisão. Desenvolver competências e capacidades para elaborar modelos matemáticos, formular, analisar e resolver problemas complexos nas áreas científicas de Controlo e Decisão, incluindo optimização, estabilidade e robustez, supervisão de processos industriais e sistemas de apoio à decisão.

  • Electrónica. Fornecer formação avançada na área de Electrónica e do projecto de circuitos integrados, incluindo competências de investigação e desenvolvimento nesta área.

  • Energia. Fornecer conhecimentos a nível avançado e desenvolver capacidades de investigação e projecto na área da Energia Eléctrica, incluindo fontes tradicionais e alternativas (sustentáveis), e abarcando aspectos de produção, transporte, gestão e optimização.

  • Processamento de Sinais. Desenvolver capacidades de modelação e análise de sinais (análise espectral, modelos lineares ARMA, distribuições tempo-frequência, etc.), bem como a sua aplicação em áreas inovadoras (exemplo: área de aplicações biomédicas).

  • Redes Colaborativas Empresariais. Fornecer uma formação avançada na área de Redes Colaborativas incluindo empresas virtuais, organizações virtuais e seus ambientes de gestação, comunidades virtuais profissionais, etc. Para além destes conhecimentos teóricos e modelos de referência, visa-se a aquisição de competências de análise, projecto e gestão de novas estruturas colaborativas e suas infraestruturas tecnológicas de suporte.

  • Robótica e Manufactura Integrada. Propiciar formação avançada na área de Sistemas Robóticos e Sistemas Integrados e Inteligentes de Manufactura, incluindo aquisição de competências de investigação e projecto em sistemas avançados de automação e robótica de serviços. Serão ainda adquiridas capacidades de análise e concepção de sistemas complexos, de características distribuídas, e com propriedades / comportamentos emergentes.

  • Sistemas Computacionais e Percepcionais. Aquisição de conhecimentos aprofundados em temas associados ao desenvolvimento de sistemas computacionais e percepcionais incluindo aspectos ligados à modelação de sistemas complexos evolutivos com capacidade de aprendizagem, subsistemas percepcionais (exemplo: processamento de imagem com técnicas de inteligência artificial) e modelos computacionais e tecnologias de suporte ao projecto de sistemas embutidos.

  • Sistemas de Informação Industriais. Aquisição de conhecimentos aprofundados e competências em princípios teóricos, técnicas de modelação, arquitecturas de referência, métodos de suporte à interoperabilidade, computação embutida e inteligência computacional, incluindo investigação e projecto na área de Sistemas de Informação aplicados à indústria.

  • Telecomunicações. Dotar os alunos de conhecimentos aprofundados e competências de investigação em sistemas de Telecomunicações, incluindo arquitecturas e modelos de referência, redes, protocolos, comunicações sem fios, redes estruturadas, ad-hoc e mistas.

Para além da ênfase na realização dum trabalho de investigação original, que conduza à geração de novo conhecimento, e o domínio das correspondentes metodologias de investigação científica, o Doutoramento visa ainda dotar os candidatos dum importante conjunto de competências adicionais que são requisitos essenciais face aos novos desafios na carreira dum doutorado. Assim, e de acordo com as recomendações da European University Association, o ciclo de estudos cobre um conjunto de aspectos vulgarmente designados por “soft skills” / ”transferable skills” e que inclui competências de comunicação e escrita técnica, liderança e gestão de tempo e recursos, promoção de parcerias e trabalho em equipa, ética científica e direitos de propriedade intelectual, organização de eventos técnicos, empreendedorismo e transferência de resultados de investigação para o tecido sócio-económico, etc. A compreensão e domínio dos métodos de investigação científica deverão ainda aperfeiçoar a capacidade crítica, capacidade de síntese em contextos de complexidade e grande dinamismo, preparando os candidatos para uma actuação autónoma.

Plano curricular (percurso Controlo e Decisão)

Plano curricular (percurso Electrónica)

Plano curricular (percurso Energia)

Plano curricular (percurso Processamento de Sinais)

Plano curricular (percurso Redes Colaborativas Empresariais)

Plano curricular (percurso Robótica e Manufactura Integrada)

Plano curricular (percurso Sistemas Computacionais e Percepcionais)

Plano curricular (percurso Sistemas de Informação Industriais)

Plano curricular (percurso Telecomunicações)

Saídas profissionais

A Engenharia Electrotécnica e de Computadores está presente num larguíssimo espectro de empresas nos mais diversos sectores industriais e de serviços. Muitas dessas organizações buscam activamente a inovação e desenvolvimento de novas soluções bem assim como a sua internacionalização ou participação em redes colaborativas internacionais. Assim, começa a ser comum as empresas de alta tecnologia possuírem unidades de investigação ou de investigação e desenvolvimento que contratam elementos doutorados em Emgenharia Electrotécnica e de Computadores para liderar equipas e projectos avançados de inovação.

Os doutores em Engenharia Electrotécnica e de Computadores terão adicionalmente oportunidades profissionais em centros de investigação ou investigação e desenvolvimento associados a instituições públicas e privadas, e nas instituições de ensino superior.

Em virtude do prestígio granjeado pela FCT NOVA existem também grandes oportunidades profissionais noutros países do espaço europeu.

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 2.750€

Estudantes internacionais: 2.750€

Prazo de candidatura:

1ª Fase: 7 de abril a 23 de junho
2ª Fase: 26 de agosto a 15 de outubro
3ª Fase: a divulgar oportunamente

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

30

Regras de acesso:

  1. Possuir o grau de Mestre ou o equivalente legal em Engenharia Electrotécnica e de Computadores ou afim;
  2. Possuir uma licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores ou afim com uma classificação mínima de 14 valores e ser detentor de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo conselho científico;
  3. Possuir uma graduação em Ensino Superior, obtida em instituição nacional ou estrangeira, reconhecida como apropriada pela Comissão Científica do Programa e ser detentor de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo conselho científico;
  4. Possuir um currículo profissional ou científico reconhecido como relevante e apropriado pelo conselho científico.

Os candidatos devem ter um bom domínio, falado e escrito, da língua inglesa, podendo, em casos justificados, a Comissão Científica aceitar candidatos noutras condições.

Documentação do processo de candidatura (on line):

  1. Certificado de habilitações discriminando as classificações obtidas;
  2. Curriculum vitae e profissional;
  3. Declaração de Intenções (Letter of Intent) em que o candidato explica as razões pelas quais está interessado em realizar o Programa de doutoramento;

Critérios de seriação:

A selecção dos candidatos é da responsabilidade da Comissão Científica do doutoramento através da apreciação da documentação apresentada, podendo convocar para uma entrevista os candidatos potencialmente elegíveis. 

Coordenador do curso:

Professor Luís M. Camarinha Matos

pdeec.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Ef 3538/2011 em 18/03/2011

A3ES

Acreditação em 03/10/2013, por 6 anos

Sobre o Departamento de Engenharia Electrotécnica

O Departamento de Engenharia Electrotecnica (DEE) constitui uma unidade de ensino e investigação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA),  vocacionada para o progresso,  investigação, qualidade de ensino e prestação à comunidade de serviços especializados na área de Engenharia Electrotecnica e de Computadores.

O DEE/FCT/UNL foi criado em 1993, para promoção do ensino e da investigação científica nos domínios da Engenharia Electrotécnica. No ano lectivo 1994/1995 foi criada a Licenciatura em Engenharia Electrotecnica (LEE). 

Actualmente, o Departamento de Engenharia Electrotecnica tem uma participação maioritária e, consequentemente, a responsabilidade da leccionação de um  Mestrado em Integrado em Engenharia Electrotecnica e de Computadores-MIEEC, um Mestrado em Engenharia Electrotecnica Sistemas e Computadores- MEESC (2º Ciclo - Processo Bolonha), um Mestrado em Energias Renováveis Conversão Eléctrica e Utilização Sustentavel- MERCEUS  (2º Ciclo - Processo Bolonha) e um Programa Doutoral em Engenharia Electrotecnica e Computadores -PDEEC  (3º Ciclo - Processo Bolonha). 

O DEE é constituído por 44 docentes, dos quais 40 são doutorados.

Saber mais