Doutoramento em Engenharia Física

Ensino

Doutoramento em Engenharia Física

Entrou em funcionamento em 2009/2010. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 240 (4 anos).

Objetivos

A competitividade do mercado global criou novas necessidades: diminuir o tempo para a transferência tecnológica entre a investigação e a produção industrial; fomentar a Investigação e Desenvolvimento ao nível das empresas; procurar novas áreas de negócio em produtos de alta tecnologia com elevado valor acrescentado, para compensar a perda de competitividade das indústrias tradicionais; resolver novos problemas de complexidade tecnológica crescente. Estes factores tornaram cada vez mais importante a formação de engenheiros com estas competências e por isso, a partir de 1980, assiste-se a um interesse crescente pela formação na Área de Engenharia Física em todos os países desenvolvidos nomeadamente o Japão, Estados Unidos e Finlândia. A Engenharia Física tem como objectivo o desenvolvimento de novas tecnologias que requerem aplicações de áreas da Física não enquadradas pelas engenharias tradicionais, nomeadamente as de Física Moderna.

Cumprindo os objectivos do 3º ciclo de garantir uma formação conducente a capacidades de inovação conceptual ou instrumental, de análise crítica e avaliação, de promoção do progresso tecnológico, capacidades que resultam da especialização e compreensão sistemática numa sub-área científica-tecnológica e da aquisição de aptidões e métodos de investigação, este programa doutoral visa a formação de especialistas com grande capacidade de inovação e de promoção de progresso tecnológico nas seguintes sub-áreas da Engenharia Física:

  1. Engenharia de Superfícies e Interfaces (Filmes finos, Catálise, Processos de interface a nível molecular, espectroscopias de superfície)
  2. Estudos em Materiais Avançados (nano-estruturas, isoladores, óxidos semi-condutores de banda larga, materiais magnéticos e super-condutores, cristais líquidos)
  3. Espectroscopias Atómicas e Moleculares
  4. Técnicas Analíticas Nucleares
  5. Óptica (Lasers, Fibras ópticas, Espectroscopia)
  6. Criogenia
  7. Nanotecnologia
  8. Instrumentação

Nestas sub-áreas, as temáticas cobertas correspondem a domínios de grande importância (com grande repercussão internacional), com grande aplicação tecnológica.

Estrutura

Plano curricular

Saídas profissionais

Garantindo a formação de especialistas com grande capacidade de inovação e de promoção de progresso tecnológico na área da Engenharia Física, este programa doutoral tem como saídas profissionais as carreiras docente universitária e/ou de investigação, bem como lugares técnicos de topo em empresas de desenvolvimento, nomeadamente nas sub-áreas indicadas nos objectivos. Entre as capacidades com que se pretende dotar os candidatos constam o espírito crítico, autonomia conceptual e empreendedorismo, visando a criação de novas empresas.

ORGANIZAÇÃO

O programa é constituído por um curso de doutoramento com 60 ECTs, e uma tese de doutoramento com 180 ECTs. 
A realização do curso de doutoramento dá direito a um Diploma de Estudos Avançados (DEA).

OBSERVAÇÕES

O percurso é único. Conforme a preparação inicial, poderá ser solicitado ao aluno a realização de disciplinas do 2º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica. Os alunos poderão obter 12 ECTS pela frequência com aproveitamento de unidades curriculares de 3º ciclo de qualquer outro programa doutoral desta Universidade e de outras com as quais se venha a estabelecer um protocolo de colaboração.
O primeiro ano do Curso corresponde ao Diploma de Estudos Avançados (60 ECTS).

Plano de estudos

Propinas:

Estudantes nacionais: 2.750€

Estudantes internacionais: 2.750€

Prazo de candidatura:

1ª Fase: 7 de abril a 23 de junho
2ª Fase: 26 de agosto a 3 de setembro
3ª Fase: a divulgar oportunamente

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

15

Regras de acesso:

Para ingressar no programa de Doutoramento em Engenharia Física, o candidato deve satisfazer as condições estabelecidas na legislação nacional, nos normativos da UNL e da FCT NOVA, e respeitar pelo menos uma das condições expressas nas alíneas seguintes:

  1. Possuir o grau de mestre em áreas científicas de Engenharia Física, Física ou afins, ou equivalente legal, com  classificação final mínima de catorze valores;
  2. Possuir uma licenciatura  em Engenharia Física ou afim com uma classificação mínima de 14 valores e ser detentor de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo conselho científico; 
  3. Ser detentor de um currículo escolar, científico ou profissional na área da Engenharia Física que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCT-UNL, sob proposta da Comissão Científica do DF, como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos.
 

Documentação do processo de candidatura (on line):

  1. Boletim de candidatura;
  2. Certificado de habilitações discriminando as classificações obtidas;
  3. Curriculum vitae e profissional;

Critérios de seriação:

A selecção dos candidatos é da responsabilidade da Comissão Científica do doutoramento através da apreciação da documentação apresentada, podendo convocar para uma entrevista os candidatos potencialmente elegíveis. 
A Comissão Científica do programa de doutoramento em Engenharia Física poderá solicitar ao candidato a apresentação de documentação suplementar que entenda relevante para a avaliação da candidatura.

Coordenadora do curso:

Professora Maria Adelaide Jesus

pdef.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Ef 3071/2011 em 18/03/2011

A3ES

Acreditação em 06/10/2016, por 6 anos

Sobre o Departamento de Física

O Departamento de Física (DF) é uma unidade de ensino graduado e pós-graduado (1º, 2º e 3º ciclos do ensino superior) e de investigação fundamental e aplicada nos domínios da Física, da Engenharia Física e da Engenharia Biomédica, estando ainda vocacionada para o desenvolvimento científico e tecnológico, a prestação de serviços e a divulgação científica. Para além de ser responsável pelos Mestrados Integrados em Engenharia Física e Engenharia Biomédica, bem como pelos Programas Doutorais nas mesmas áreas, em Física e pelos Programas Doutorais “NOVA Instrumentation for Health - NOVA I4H” e “Radiation Biology and Biophysics - RaBBiT", o DF assegura o ensino das unidades curriculares de Física básica a todos os cursos da FCT NOVA.

Com origem num pequeno núcleo existente desde o nascimento da FCT NOVA, gerido pelo Prof. Manuel Laranjeira (então Reitor da UNL), o Departamento de Física foi reconhecido formalmente em 1986, tendo mantido desde então um corpo docente de cerca de 30 pessoas. As suas actividades em Física e Engenharia Física foram alargadas em 2000 para incluir a Engenharia Biomédica.

A actividade científica do DF desenvolve-se essencialmente em duas Unidades de Investigação, o LIBPhys-UNL e o CEFITEC. A investigação abrange diversas áreas, tais como nanofísica e energia, física atómica e molecular, física nuclear e dos plasmas, física das interfaces, lasers e optoelectrónica, detectores, criogenia, técnicas analíticas aplicadas à saúde e património cultural, instrumentação médica e imagem médica.

Saber mais