Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecno

Ensino

Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias

Entrou em funcionamento no ano letivo de 2009/2010. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Objetivos

  1. Implementar formação em que a FCTUNL e, em particular, o DCM através do seu centro de Investigação CENIMAT, possuem reconhecimento internacional e são líderes em áreas como a electrónica transparente; papel electrónico; nanotecnologias aplicadas à electrónica; processamento de nano dispositivos; nanomateriais inteligentes; nanobiossensores.
  2. Fornecer competências e conhecimentos específicos ao exercício de uma profissão na área da Microelectrónica de Processos e das Nanotecnologias, satisfazendo os requisitos e objectivos da Investigação tecnológica relevante para a Indústria e com reconhecimento internacional. Para o efeito requer-se que os formandos possuam uma formação científica sólida nas áreas da matemática e da física, que serão reforçadas e complementadas com competências nas áreas de tecnológicas; concepção; gestão e inovação, ligados à Micro e Nanotecnologias de Processos;
  3. Articulação entre os conhecimentos científicos e tecnológicos com as necessidades reais do mercado de trabalho em termos de inovação e eficácia de processos e sua caracterização e avaliação;
  4. O incentivo ao gosto pela criatividade e resolução de problemas industriais e ou de investigação científica;
  5. O fomento das capacidades de trabalho de equipa, liderança e empreendedorismo;
  6. Permitir a “reciclagem” avançada de Engenheiros, nomeadamente aqueles com formação nas áreas da Electrónica, Materiais, Física, Química e afins.

Plano curricular (considerar só os 4.º e 5.º anos)

Saídas profissionais

O Mestrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias proporciona uma formação adequada para o desempenho de actividades nos seguintes domínios:

  • Industria Electrónica e Microelectrónica
  • Empresas de Consultoria, Projecto e Auditoria
  • Ensino e Investigação
  • Empresas de Serviços

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 1063,47 €/anual

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP)

Prazo de candidatura:

1ª fase: 6 de março a 23 de junho
2ª fase: 26 a 31 de agosto
3ª fase: 10 de janeiro a 10 de fevereiro de 2018

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

5

Regras de acesso:

  1. Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em licenciaturas das áreas de Engenharia dos Materiais, Engenharia Física, Engenharia Química e Bioquímica, Engenharia Electrotécnica, Engenharia Biomédica, Biologia Celular e Molecular e áreas afins;
  2. Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado, naquelas áreas, de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;

  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro, naquelas áreas, que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia;

  4. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Critérios de seriação:

  1. Classificação do curso;
  2. Currículo académico e científico;
  3. Currículo profissional;
  4. Eventual entrevista.

Coordenador do curso:

Professor Hugo Brito Águas

miemn.coordenador@fct.unl.pt

Sobre o Departamento de Ciência dos Materiais

O Departamento de Ciência dos Materiais (DCM) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA) foi o primeiro a ser criado a nível Nacional, em 1976, por iniciativa do seu primeiro presidente, o Prof. Leopoldo Guimarães. O objectivo inicial foi o de criar cursos de extensão universitária na área dos materiais conducentes à criação de uma licenciatura de raiz que abrangesse uma vasta gama de domínios científicos, nomeadamente a metalurgia, os materiais semicondutores, os materiais poliméricos e mesomorfos, os materiais cerâmicos e vidros, a cristaloquímica e o controle de qualidade.

Desde então o Departamento de Ciência dos Materiais tem crescido e diversificado as suas actividades, devido essencialmente ao esforço do seu corpo docente e técnico, consubstanciado num vasto número de projectos (académicos e industriais) financiados por entidades Nacionais, Europeias e Internacionais. Tal permitiu a sua moderna adequação às novas tecnologias, dispondo para tal de infraestruturas laboratoriais únicas em Portugal, de ensino e de investigação, reconhecidas internacionalmente e que têm permitido formar Engenheiros de Materiais de elevada qualidade científica e técnica, capazes de responderem às solicitações da sociedade actual.

Saber mais