Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de

Ensino

Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Entrou em funcionamento no ano letivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Objetivos

A formação em Engenharia Electrotécnica e de Computadores associa uma rápida evolução tecnológica a uma crescente interdisciplinaridade (Electrónica, Telecomunicações, Energia, Controlo Industrial, Sistemas Digitais, Manufactura Integrada, Tecnologias de Informação). O Mestrado integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores tem por finalidade formar profissionais com competências na análise, especificação, projecto e utilização de produtos e serviços nas áreas referidas.

Estas competências assentam na combinação de uma base sólida de áreas científicas básicas e gerais (Matemática, Física e Computação) e de áreas científicas de Engenharia Electrotécnica e de Computadores, com a aquisição de formação tecnológica avançada. O aluno pode, assim, sair confiante do curso pelo domínio relevante que possui nas tecnologias e ferramentas computacionais aplicadas às áreas de Engenharia Electrotécnica e de Computadores.

A formação proporcionada inclui as vertentes teórica e laboratorial, desenvolvendo a capacidade de resposta do aluno em novas situações, através de um processo de aprendizagem contínuo, e reforçando as capacidades de inovação e de aprendizagem autónoma.

Estrutura

Plano curricular (considerar só os 4.º e 5.º anos)

Saídas profissionais

O currículo do Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores foi concebido para proporcionar um vasto leque de saídas profissionais. Assim, apontam-se como exemplos:

  • Empresas produtoras de bens de equipamento, com especial incidência nas do sector electrotécnico, electrónico e de comunicações.

  • Empresas do sector mecatrónico, isto é, combinando componentes electrotécnicos, informáticos e mecânicos.

  • Sectores de automação e integração de sistemas de qualquer empresa industrial.  

  • Empresas visando a produção integrada por computador (CIM) e a robotização.  

  • Empresas de comunicações e de serviços com forte incidência em tecnologias de informação.  

  • Monitorização e controlo de edifícios inteligentes (domótica).  

  • Institutos de investigação e universidades.  

Propinas (a confirmar)

Propinas Estudantes Nacionais: 1063,47 €/anual 

Propinas Estudantes Internacionais: 7000 €/anual  (Redução de 60% para estudantes da CPLP) 

Horário de funcionamento

Diurno

Candidaturas

1ª Fase: 1 de maio a 14 de Julho

2ª Fase: 26 a 31 de agosto de 2019

Candidaturas

Candidaturas Internacionais

Condições de acesso para o ano letivo de 2019/2020

Vagas para 2019/2020:

10

Regras de acesso:

  1. Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em Ciências de Engenharia Electrotécnica e Computadores ou afns;

  2. Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado, naquelas áreas, de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;

  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro, naquelas áreas, que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia;
  4. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Critérios de seriação:

  1. Classificação do curso;
  2. Currículo académico e científico;
  3. Currículo profissional;
  4. Eventual entrevista.

Coordenador do curso:

Professor João Palma Goes

mieec.coordenador@fct.unl.pt

Sobre o Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores

O Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC) constitui uma unidade de ensino e investigação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA),  vocacionada para o progresso,  investigação, qualidade de ensino e prestação à comunidade de serviços especializados na área de Engenharia Electrotecnica e de Computadores.

O DEE/FCT NOVA foi criado em 1993, para promoção do ensino e da investigação científica nos domínios da Engenharia Electrotécnica. No ano letivo 1994/1995 foi criada a Licenciatura em Engenharia Eletrotecnica (LEE). 

Atualmente, o Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores tem uma participação maioritária e, consequentemente, a responsabilidade da lecionação de um  Mestrado em Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores-MIEEC, um Mestrado em Engenharia Eletrotécnica Sistemas e Computadores- MEESC (2º Ciclo - Processo Bolonha), um Mestrado em Energias Renováveis Conversão Elétrica e Utilização Sustentável- MERCEUS  (2º Ciclo - Processo Bolonha) e um Programa Doutoral em Engenharia Eletrotécnica e Computadores -PDEEC  (3º Ciclo - Processo Bolonha). 

O DEEC é constituído por 44 docentes, dos quais 40 são doutorados.

Saber mais