Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia Física

Ensino

Componente de 2.º ciclo do Mestrado Integrado em Engenharia Física

Entrou em funcionamento no ano letivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Objetivos

O Engenheiro Físico é um profissional que actua no domínio da Física e da Engenharia, particularmente nas áreas da física moderna e de grande impacto tecnológico. Detentor de um conhecimento consolidado em ciências básicas, a sua formação sólida em engenharia e nas áreas mais recentes da Física aplicada permite-lhe transformar a ciência em tecnologia, contribuindo para a inovação tecnológica no tecido empresarial.

O Engenheiro Físico da NOVA é um profissional multidisciplinar que possui valências em diversas áreas, tais como física atómica e molecular, física nuclear e dos plasmas, física das interfaces, óptica e optoelectrónica, detectores, criogenia e técnicas analíticas aplicadas à saúde e ao património cultural.

Estas valências proporcionam-lhe as seguintes capacidades:

  • Conceber soluções através da aplicação do conhecimento técnico e científico para a planificação, construção, utilização e manutenção de estruturas, máquinas e sistemas para o benefício da sociedade;
  • Projectar e conduzir experiências científicas e interpretar os respectivos resultados;
  • Aplicar conhecimentos científicos, matemáticos e tecnológicos na investigação e no processo de engenharia aplicado à detecção e resolução de problemas;
  • Avaliar a operação e a manutenção de sistemas, o impacto das actividades de engenharia no contexto social e ambiental e a viabilidade económica de projectos de engenharia;
  • Comunicar transversalmente com as outras engenharias.

Estrutura

Plano curricular (considerar só os 4.º e 5.º anos)

Saídas profissionais

  • Aplicações das novas microscopias

  • Aquisição e Processamento de Sinal em Medicina, incluindo ressonância magnética nuclear e tomografia axial computorizada (TAC)

  • Produção, uso e controle de radiação em Medicina ou para outros fins

  • Aplicação de lasers na Medicina ou na indústria óptica aplicada, fibras ópticas e optoelectrónica

  • Aplicações de espectroscopias e novas técnicas de análise

  • Aplicações de feixes de electrões e de plasmas em soldaduras ou outros processos tecnológicos

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 1063,47 €/anual

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP)

Prazo de candidatura:

1ª fase: 6 de março a 23 de junho
2ª fase: 26 a 31 de agosto
3ª fase: 10 de janeiro a 10 de fevereiro de 2018

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

10

Regras de acesso:

  1. Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal em Ciências de Engenharia Física ou afim.
  2. Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia;
  4. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da Faculdade de Ciências e Tecnologia.
  5. A admissibilidade dos candidatos nas condições do n.º 2 deste artigo será avaliada pela Comissão Científica do Departamento de Física, tendo em conta o plano de estudos realizado previamente pelo aluno.

Critérios de seriação:

  1. Classificação do curso;
  2. Currículo académico e científico;
  3. Currículo profissional;
  4. Eventual entrevista.

Coordenadora do curso:

Professora Maria Isabel Simões Catarino

mief.coordenador@fct.unl.pt

Sobre o Departamento de Física

O Departamento de Física (DF) é uma unidade de ensino graduado e pós-graduado (1º, 2º e 3º ciclos do ensino superior) e de investigação fundamental e aplicada nos domínios da Física, da Engenharia Física e da Engenharia Biomédica, estando ainda vocacionada para o desenvolvimento científico e tecnológico, a prestação de serviços e a divulgação científica. Para além de ser responsável pelos Mestrados Integrados em Engenharia Física e Engenharia Biomédica, bem como pelos Programas Doutorais nas mesmas áreas, em Física e pelos Programas Doutorais “NOVA Instrumentation for Health - NOVA I4H” e “Radiation Biology and Biophysics - RaBBiT", o DF assegura o ensino das unidades curriculares de Física básica a todos os cursos da FCT NOVA.

Com origem num pequeno núcleo existente desde o nascimento da FCT NOVA, gerido pelo Prof. Manuel Laranjeira (então Reitor da UNL), o Departamento de Física foi reconhecido formalmente em 1986, tendo mantido desde então um corpo docente de cerca de 30 pessoas. As suas actividades em Física e Engenharia Física foram alargadas em 2000 para incluir a Engenharia Biomédica.

A actividade científica do DF desenvolve-se essencialmente em duas Unidades de Investigação, o LIBPhys-UNL e o CEFITEC. A investigação abrange diversas áreas, tais como nanofísica e energia, física atómica e molecular, física nuclear e dos plasmas, física das interfaces, lasers e optoelectrónica, detectores, criogenia, técnicas analíticas aplicadas à saúde e património cultural, instrumentação médica e imagem médica.

Saber mais