Mestrado em Conservação e Restauro

Ensino

Mestrado em Conservação e Restauro

Entrou em funcionamento no ano lectivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Objetivos

O Mestre em Conservação e Restauro terá autonomia para aplicar os fundamentos da Conservação Preventiva, bem como para exercer intervenção curativa sobre a Obra, ou seja, para Restaurar.

A competência para levar a cabo uma intervenção de Restauro implica uma atitude crítica e um diagnóstico profundo que permitirá não só caracterizar o estado de alteração e patologias da Obra como propor as medidas de intervenção, preventiva ou curativa, mais correctas. Assumem particular relevo na formação dessa atitude crítica, a história e técnicas de produção artística e os métodos de exame e análise em Arte e Arqueologia.

No estágio final, de duração anual, o aluno construirá a sua área de especialização. No estágio, os estudantes são preparados para os problemas abertos e ambíguos que serão o quotidiano na sua vida profissional futura, bem como para o “stress” do trabalho diário numa economia de mercado, muito competitiva.

O profissional formado saberá inovar, actualizar-se em permanência e competir a nível internacional.

Plano curricular (percurso Ciências da Conservação)

Plano curricular (percurso Conservação e Restauro)

Saídas profissionais

  • Museus Nacionais e Regionais
  • Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR)- C&R do Património edificado
  • Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN)- C&R do Património edificado
  • Instituto Português de Conservação e Restauro (IPCR)
  • Bibliotecas e Arquivos Nacionais e Distritais
  • Câmaras Municipais e outros órgãos de gestão autárquica
  • Outras instituições, responsáveis por espólios de interesse histórico-artístico
  • Investigação e desenvolvimento; inovação tecnológica
  • Criação ou participação em pequenas e médias empresas para Restauro, Análises Científicas e outras actividades relacionadas com a Conservação e Valorização do Património Cultural
Regulamento

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 1.063,47 €/anual

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP)

Prazo de candidatura:

1ª fase: 6 de março a 23 de junho
2ª fase: 26 a 31 de agosto

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

20

Regras de acesso:

  1. Titulares de grau de licenciado, que possuam um número mínimo de 80 créditos nas áreas da Conservação (CONS) e Ciências da Conservação (CCONS) (CONS + CCONS = 80 ECTS) e formação em História da Arte (20 ECTS).

  2. Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado em Conservação, pelo Conselho de Departamento de Conservação e Restauro e pelo Conselho Científico da FCT/UNL.

  3. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade pela realização deste ciclo de estudos pelo Conselho de Departamento de Conservação e Restauro e pelo Conselho Científico da FCT/UNL.

Critérios de seriação:

  1. Em regra.os alunos serão seriados pela  classificação académica obtida no primeiro ciclo;
  2. em caso de empate, efectua-se uma segunda seriação, tendo em conta o número de anos que o aluno levou a concluir o 1º ciclo;
  3. por fim, se ainda for necessário para desempate, será considerada a idade do candidato.

Coordenadora do curso:

Professora Maria João Seixas de Melo

mcr.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Ef 3096/2011 em 18/03/2011

A3ES

Acreditação preliminar em 13/12/2011

Sobre o Departamento de Conservação e Restauro

O Departamento de Conservação e Restauro da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa tem como missão o ensino e a investigação que contribua para uma melhor conservação e usufruto do património, nomeadamente da valiosa e quase milenar herança cultural portuguesa, que urge preservar para as gerações futuras.

Laboratórios e oficinas devidamente equipados permitem investigação de qualidade em ciências da conservação e suas aplicações ao restauro. Uma rede de colaborações nacionais e internacionais permite o desenvolvimento de projectos estimulantes, de reconhecida qualidade, bem como criar oportunidades únicas para estágios de mestrado e saídas profissionais.

O DCR acredita que a paixão pela investigação e o entusiasmo pela conservação e restauro do património devem ser partilhados com os seus alunos. Assim, no próximo ano lectivo, a partir do 2ºsemestre, os alunos serão convidados a escolher um laboratório/atelier, a integrar a sua equipa para participar nas actividades do dia-a-dia bem como nos projectos inovadores em curso. Irão formular novas ideias, saber como adquirir e processar novos dados, desafiar/questionar as fronteiras do senso comum, descobrir coisas nunca antes pensadas e aplicá-las para melhor conservar, restaurar e apreciar as obras de arte!

Saber mais