Ensino

Formação com Investigação em Ciências e Engenharia do Ambiente

Área científica predominante: ciências e engenharia do ambiente

O curso pretende formar o estudante na prática da atividade científica direcionada para a formulação de problemas complexos, metodologias de análise e configuração de soluções, seja de natureza tecnológica, ecológica, económica, social ou outra.
O trabalho a desenvolver pelo estudante é enquadrado no âmbito de um projeto de investigação a decorrer em uma das unidades de investigação associadas ao DCEA, nomeadamente no CENSE ou no MARE NOVA, ou noutra unidade de investigação parceira, ficando cada estudante sob a supervisão de um membro doutorado integrado nessas unidades.

Duração

O curso é composto por quatro níveis (1, 2, 3 e 4) com durações e número de ECTS distintos, entre um mínimo de 6 meses / 3 ECTS (nível 1) e um máximo de 24 meses / 12 ECTS (nível 4).

Objetivos

Num quadro de promoção de uma investigação de excelência, na área das ciências e engenharia do ambiente e áreas afins (e.g. ciências da vida, engenharia e técnicas afins, ciências sociais e do comportamento, serviços de Proteção do Ambiente), o curso pretender formar o estudante na prática da atividade científica direcionada para o desenvolvimento de novos processos químicos e bioquímicos, de novas tecnologias e de novos compostos bioativos bem como novos materiais que contribuam para a sustentabilidade e a implementação de processos e tecnologias limpas.
Como objetivos globais de aprendizagem, para qualquer um dos níveis do curso, pretende-se que o estudante adquira as seguintes competências:

  • Sentido crítico, na análise de literatura científica e de resultados experimentais;
  • Capacidade de interpretar dados científicos;
  • Criatividade nas metodologias científicas empregues ao longo do trabalho;
  • Capacidade de comunicar e discutir resultados recorrendo a linguagem científica apropriada, de forma sucinta e clara;
  • Capacidade de integrar e aplicar conhecimentos multidisciplinares em ciências e engenharia do ambiente;
  • Adquisição gradual de autonomia científica.

O percurso para níveis mais avançados permitirá expandir e consolidar estes conhecimentos (por exemplo, adaptar a capacidade de comunicação e discussão para diversas audiências, de especialistas e não especialistas, da academia à indústria e fomentar maior autonomia científica), aumentando naturalmente o nível de exigência.

Metodologias de ensino e aprendizagem

Cada estudante será orientado individualmente por um membro doutorado integrado de um dos dois centros de investigação do Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente, o CENSE ou o MARE NOVA, ou outras unidades de investigação com as quais tenham parceiras, sob proposta do coordenador(a) da unidade curricular. O membro integrado, enquanto orientador, deve validar o plano de trabalho do estudante e assegurar ao estudante as condições necessárias para o seu desenvolvimento, nomeadamente acesso a bases de dados bibliográficas, condições logísticas, acesso e uso a laboratórios, e outras que venham a ser identificadas.
Nas unidades curriculares semestrais, o estudante começará por efetuar pesquisa bibliográfica sobre o tema do seu trabalho de investigação, preparando depois, com base nessa pesquisa e nas ideias discutidas com o orientador, um plano detalhado para o seu trabalho a desenvolver. Durante o seu trabalho, em qualquer das unidades curriculares, o estudante será integrado num projeto nacional ou internacional em curso nas unidades de I&D, em particular no seio da equipa que o está a desenvolver. Esta equipa, em articulação com o orientador, fornecerá ao estudante toda a formação necessária para operar os equipamentos laboratoriais e para analisar os resultados obtidos. O estudante será também integrado nas reuniões periódicas do projeto, quer internas, quer com os restantes parceiros do projeto (se aplicável), onde irá desenvolver competências de discussão e comunicação científica.
Nos níveis avançados do curso pretende-se que todas essas competências adquiridas pelo estudante sejam aprofundadas, permitindo construir gradualmente o seu perfil de investigador e fomentar a sua independência científica.
No final de cada unidade curricular o estudante fará um relatório relativo às atividades desenvolvidas no seu trabalho de investigação e, adicionalmente, nos níveis mais avançados uma apresentação e discussão oral sob a forma de um seminário.

Custo da formação

3 ECTS: 75 Euros
6 ECTS: 150 Euros
9 ECTS: 225 Euros
12 ECTS: 300 Euros

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2022/2023

Vagas para 2022/2023:

 

Regras de acesso:

Com formação em áreas consideradas adequadas à investigação em Ciências e Engenharia do Ambiente, em todos os seus domínios, e áreas afins, designadamente Ciências da Vida, Engenharia e Técnicas Afins, Ciências Sociais e do Comportamento, Serviços de Proteção do Ambiente, em todos os seus domínios.

Coordenadora do curso:

Prof. Doutora Graça Martinho

Sobre o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente

O Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA) da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, criado em 1976, foi pioneiro no ensino da Engenharia do Ambiente integrando competências fundamentais de diversas engenharias, como a matemática, a física e a química, de áreas científicas, como a ecologia e a economia do ambiente, e novas tecnologias ambientais e digitais, assumindo a interdisciplinaridade como a sua principal marca.

Com um corpo docente de 36 professores doutorados, 70 investigadores, 10 técnicos e quatro colaboradores administrativos, o DCEA acolhe dois centros de investigação (CENSE e MARE) como pilares do ensino e do conhecimento que promove, trabalhando diariamente para concretizar a sua missão: Recentrar a Engenharia do Ambiente no Século XXI, como competência central no mercado de trabalho; motor de investigação, desenvolvimento e inovação; promotora de mudanças societais.

Dotado de laboratórios de ensino e investigação, suportado por projetos de investigação nacionais e internacionais, com a indústria e organismos de política pública, o DCEA assegura a formação de Engenheiros do Ambiente de elevada qualidade científica e técnica, preparados para o mercado nacional e internacional, numa vasta gama de funções e responsabilidades, incluindo a promoção do próprio emprego a partir de programas de inovação que gere como o Climate-KIC.

Saber mais