Notícias

Notícias

242 jovens na Ciência Viva da FCT NOVA

02-08-2018

Alunos do ensino básico e secundário na FCT NOVA a participar no programa Ciência Viva no Laboratório – Ocupação Científica de Jovens nas Férias.

A edição deste ano, que decorreu entre finais de Junho e finais de Julho, incluiu uma atividade inserida no programa piloto Começar Cedo, que abriu as portas, pela primeira vez, a estudantes do 3.º ciclo do ensino básico (8.º e 9.º ano) . A NOVA LINCS e o Departamento de Informática da FCT  NOVA receberam 25 alunos do ensino básico com uma introdução às várias áreas da computação através da construção de programas.

O Departamento de Engenharia Electroténica e de Computadores promoveu as atividades “Construção de veleiros equipados com sistemas eletrónicos para navegação autónoma” onde os estagiários foram cativados a prosseguir o seu percurso escolar em áreas tecnológicas relacionadas com a Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, utilizando os veleiros autónomos e os sistemas digitais de controlo e de instrumentação associados como meio para permitir um contato com algumas das tecnologias disponíveis. A segunda atividade, “Construir Drones – Uma maneira divertida de aprender” visou igualmente incentivar os participantes a continuar estudos em áreas tecnológicas relacionadas com a robótica (de preferência na nossa faculdade) e desmitificar que a robótica é uma área destinada a génios.

O Departamento de Ciência dos Materiais participa desde 2009 neste programa da Ciência Viva e este ano não foi exceção com a participação de 104 jovens do 10.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade, em diversas atividades cujas linhas temáticas foram a microeletrónica, a nanotecnologia e a eletrónica transparente.

Na atividade “Avaliação da toxicidade genética de compostos químicos”, promovida pelo Departamento de Ciências e Tecnolgia da Biomassa, foi avaliado se os compostos químicos, podem causar alterações relacionadas com o desenvolvimento de diversas doenças entre as quais o cancro, através da utilização de um ensaio com bactérias – o Teste de Ames. Outra atividade promovida pelo DCTB “É possível produzir antibióticos a partir de alimentos?”, teve como objetivo testar se um fungo isolado de uma mina de sal é capaz de produzir penicilina a partir de um alimento através de uma matriz alimentar disponível em qualquer grande superfície.

Através das atividades “A Matemática é um Mundo” e “Matemática Experimental” foi possível aos participantes ver, respetivamente, como a matemática tem contribuído para a compreensão do que nos rodeia, nomeadamente na sua relação com a Física e a Arte, e experimentar várias técnicas matemáticas, aplicando-as a problemas do quotidiano e contando com a orientação de investigadores do Departamento de Matemática.

 O Departamento de Química e de Ciências da Vida, a  título de exemplo,  organizaram a “Química em Ação” e “Vem descobrir as Ciências da Vida” sempre com o foco de estimularem o gosto e a vontade de fazer Química e de possibilitar o contacto com as Ciências da Vida junto dos estudantes, levando junto destes as características e competências necessárias para a sua futura atividade enquanto estudantes do ensino superior ou no mercado de trabalho.

 Já o Departamento de Ciências da Terra, com a atividade “Da pesquisa de georrecursos à sua caracterização e produção”, acompanhou trabalhos relativos ao percurso de georrecursos como as águas, os minerais ou as rochas, levando os estagiários a acompanhar um levantamento de terreno com mapas, a aprender a executar ensaios de laboratório, bem como procedimentos básicos de interpretação e modelação com recurso a ferramentas de tecnologias de informação e a observar aspetos da extração desses materiais essenciais ao nosso desenvolvimento sustentado.

Por último, no Departamento de Física os participantes tomaram contacto com algumas das áreas de investigação em Engenharia Física e Física tais como, Física atómica, Física Nuclear e Astrofísica, Ciência das superfícies, Criogenia e Ótica e lasers.

Este ano o fim do programa Ciência Viva no Laboratório – Ocupação Científica de Jovens nas Férias na FCT NOVA contou com a visita do Ministro da Ciência Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e de Rosalia Vargas, Presidente da Agência Nacional Ciência Viva.