Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias

Ensino

Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias

O Mestrado Integrado em Micro e Nano Tecnologias foi criado no ano lectivo de 2009/2010 tendo uma duração de 5 anos e um número mínimo de créditos para a obtenção do grau de 300 ECTS.

O curso é reconhecido pela Ordem dos Engenheiros e pela FEANI (Federação Europeia de Associações Nacionais de Engenharia) para atribuição do título EUR ING (Engenheiro Europeu). Recebeu também recentemente a acreditação por parte A3ES com os seguintes comentários:

  1. Curso com forte ligação à investigação. O curso baseia-se num nicho de especialização com capacidade de atração de estudantes muito bons e motivados.
  2. Elevada capacidade de assegurar os recursos financeiros necessários à excelência na investigação e ensino.
  3. Os objectivos estão de acordo com as boas práticas internacionais. Existem mecanimos suficientemente flexíveis de alteração do plano de estudos. A integração dos estudantes na investigação científica ocorre de forma adequada
  4. Coerência de objectivos e enfoque claro numa area científica, que se traduz numa grande integração entre os projectos de investigação e de ensino
  5. Identificação muito forte dos alunos com o curso
  6. Liderança forte
  7. Laboratórios muito bem equipados e trabalhos laboratoriais muito bem montados, com efectiva participação dos estudantes nas aulas laboratoriais
  8. Sistema de avaliação continua reconhecido e aceite por todos os intervenientes
  9. Interface forte com as empresas
  10. Estudantes motivados para criação de empresas.

Objetivos

São objectivos do Mestrado Integrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias:

  1. Implementar formação em que a FCT NOVA e, em particular, o DCM através do seu centro de Investigação CENIMAT, possuem reconhecimento internacional e são líderes em áreas como a electrónica transparente; papel electrónico; nanotecnologias aplicadas à electrónica; processamento de nano dispositivos; nanomateriais inteligentes; nanobiossensores; energia.
  2. Fornecer competências e conhecimentos específicos ao exercício de uma profissão na área da Microelectrónica de Processos e das Nanotecnologias, satisfazendo os requisitos e objectivos da Investigação tecnológica relevante para a Indústria e com reconhecimento internacional. Para o efeito requer-se que os formandos possuam uma formação científica sólida nas áreas da matemática e da física, que serão reforçadas e complementadas com competências nas áreas de tecnológicas; concepção; gestão e inovação, ligados à Micro e Nanotecnologias de Processos;
  3. Articulação entre os conhecimentos científicos e tecnológicos com as necessidades reais do mercado de trabalho em termos de inovação e eficácia de processos e sua caracterização e avaliação;
  4. O incentivo ao gosto pela criatividade e resolução de problemas industriais e ou de investigação científica;
  5. O fomento das capacidades de trabalho de equipa, liderança e empreendedorismo;
  6. Permitir a “reciclagem” avançada de Engenheiros, nomeadamente aqueles com formação nas áreas da Electrónica, Materiais, Física, Química e afins. 

Plano curricular

Saídas profissionais

O Mestrado em Engenharia de Micro e Nanotecnologias proporciona uma formação adequada para o desempenho de actividades nos seguintes domínios:

  • Industria Electrónica e Microelectrónica
  • Energias Renováveis
  • Empresas de Consultoria, Projecto e Auditoria
  • Ensino e Investigação
  • Empresas de Serviços 

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

55 (a confirmar)

Provas específicas:

07 Física e Química + 19 Matemática A

Classificação mínima na(s) prova(s) específica(s): 95

Classificação mínima na candidatura: 95

Fórmula de ingresso:

60% da classificação final do Secundário
40% da classificação final na(s) prova(s) específica(s)

Coordenador do curso:

Professor Hugo Brito Águas

miemn.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-EF 3117/2011/AL01 em 18/01/2016

A3ES

Acreditação em 09/06/2015, por 6 anos

Vídeo de apresentação

Sobre o Departamento de Ciência dos Materiais

O Departamento de Ciência dos Materiais (DCM) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA) foi o primeiro a ser criado a nível Nacional, em 1976, por iniciativa do seu primeiro presidente, o Prof. Leopoldo Guimarães. O objectivo inicial foi o de criar cursos de extensão universitária na área dos materiais conducentes à criação de uma licenciatura de raiz que abrangesse uma vasta gama de domínios científicos, nomeadamente a metalurgia, os materiais semicondutores, os materiais poliméricos e mesomorfos, os materiais cerâmicos e vidros, a cristaloquímica e o controle de qualidade.

Desde então o Departamento de Ciência dos Materiais tem crescido e diversificado as suas actividades, devido essencialmente ao esforço do seu corpo docente e técnico, consubstanciado num vasto número de projectos (académicos e industriais) financiados por entidades Nacionais, Europeias e Internacionais. Tal permitiu a sua moderna adequação às novas tecnologias, dispondo para tal de infraestruturas laboratoriais únicas em Portugal, de ensino e de investigação, reconhecidas internacionalmente e que têm permitido formar Engenheiros de Materiais de elevada qualidade científica e técnica, capazes de responderem às solicitações da sociedade actual.

Saber mais