Mestrado Integrado em Engenharia Física

Ensino

Mestrado Integrado em Engenharia Física

Entrou em funcionamento no ano lectivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 300 (5 anos).

Curso reconhecido pela Ordem dos Engenheiros e pela FEANI (Federação Europeia de Associações Nacionais de Engenharia) para atribuição do título EUR ING (Engenheiro Europeu)

Objetivos

O Engenheiro Físico é um profissional que actua no domínio da Física e da Engenharia, particularmente nas áreas da física moderna e de grande impacto tecnológico. Detentor de um conhecimento consolidado em ciências básicas, a sua formação sólida em engenharia e nas áreas mais recentes da Física aplicada permite-lhe transformar a ciência em tecnologia, contribuindo para a inovação tecnológica no tecido empresarial.

O Engenheiro Físico da NOVA é um profissional multidisciplinar que possui valências em diversas áreas, tais como física atómica e molecular, física nuclear e dos plasmas, física das interfaces, óptica e optoelectrónica, detectores, criogenia e técnicas analíticas aplicadas à saúde e ao património cultural.

Estas valências proporcionam-lhe as seguintes capacidades:

  • Conceber soluções através da aplicação do conhecimento técnico e científico para a planificação, construção, utilização e manutenção de estruturas, máquinas e sistemas para o benefício da sociedade;
  • Projectar e conduzir experiências científicas e interpretar os respectivos resultados;
  • Aplicar conhecimentos científicos, matemáticos e tecnológicos na investigação e no processo de engenharia aplicado à detecção e resolução de problemas;
  • Avaliar a operação e a manutenção de sistemas, o impacto das actividades de engenharia no contexto social e ambiental e a viabilidade económica de projectos de engenharia;
  • Comunicar transversalmente com as outras engenharias.

Plano curricular

Saídas profissionais

  • I&D
  • Física médica
  • Instrumentação
  • Técnicas analíticas
  • Aero-espacial
  • Energia
  • Consultoria

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

25 (a confirmar)

Provas específicas:

07 Física e Química + 19 Matemática A

Classificação mínima na(s) prova(s) específica(s): 95

Classificação mínima na candidatura: 95

Fórmula de ingresso:

60% da classificação final do Secundário
40% da classificação final na(s) prova(s) específica(s)

Coordenadora do curso:

Professora Isabel Catarino

mief.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Cr 66/2015/AL01 em 14/07/2017

A3ES

Acreditação prévia em 19/05/2015, por 6 anos

Vídeo de apresentação

Sobre o Departamento de Física

O Departamento de Física (DF) é uma unidade de ensino graduado e pós-graduado (1º, 2º e 3º ciclos do ensino superior) e de investigação fundamental e aplicada nos domínios da Física, da Engenharia Física e da Engenharia Biomédica, estando ainda vocacionada para o desenvolvimento científico e tecnológico, a prestação de serviços e a divulgação científica. Para além de ser responsável pelos Mestrados Integrados em Engenharia Física e Engenharia Biomédica, bem como pelos Programas Doutorais nas mesmas áreas, em Física e pelos Programas Doutorais “NOVA Instrumentation for Health - NOVA I4H” e “Radiation Biology and Biophysics - RaBBiT", o DF assegura o ensino das unidades curriculares de Física básica a todos os cursos da FCT NOVA.

Com origem num pequeno núcleo existente desde o nascimento da FCT NOVA, gerido pelo Prof. Manuel Laranjeira (então Reitor da UNL), o Departamento de Física foi reconhecido formalmente em 1986, tendo mantido desde então um corpo docente de cerca de 30 pessoas. As suas actividades em Física e Engenharia Física foram alargadas em 2000 para incluir a Engenharia Biomédica.

A actividade científica do DF desenvolve-se essencialmente em duas Unidades de Investigação, o LIBPhys-UNL e o CEFITEC. A investigação abrange diversas áreas, tais como nanofísica e energia, física atómica e molecular, física nuclear e dos plasmas, física das interfaces, lasers e optoelectrónica, detectores, criogenia, técnicas analíticas aplicadas à saúde e património cultural, instrumentação médica e imagem médica.

Saber mais