Licenciatura em Engenharia do Ambiente

Ensino

Licenciatura em Engenharia do Ambiente

A sustentabilidade do Planeta está cada vez mais presente nas agendas científica, política, económica e social, exigindo competências específicas e inovadoras. As alterações climáticas, a fragmentação de ecossistemas, a perda de biodiversidade, a escassez de água, a degradação do solo, a depleção de recursos e os serviços de água e saneamento são exemplos que apelam a soluções inovadoras. As organizações, públicas e privadas, têm vindo a reconhecer a importância de um Planeta saudável para o seu sucesso e para o bem-estar e a qualidade de vida das populações. A Agenda das Nações Unidas para 2030 constitui uma oportunidade para países e organizações desenvolverem políticas, produtos e serviços orientados para alcançar os 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. Instrumentos internacionais, como o Acordo de Paris e o Pacto Ecológico Europeu, e nacionais, como o Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050, incentivam a inovação e os investimentos para o desenvolvimento de novos produtos e serviços, novos modelos de negócio, novos comportamentos e valores, compatíveis com o desenvolvimento sustentável. A Engenharia do Ambiente contribui para uma sociedade e economia compatíveis com a sustentabilidade do Planeta.

Objetivos

A Licenciatura em Engenharia do Ambiente (LEA), com a duração de três anos, fornece as competências necessárias ao ingresso numa carreira profissional na área da Engenharia do Ambiente, bem como à prossecução dos estudos em mestrado, em especial no Mestrado em Engenharia do Ambiente. A formação em Engenharia do Ambiente da NOVA School of Sciences and Technology | FCT NOVA é pioneira há mais de 40 anos, alicerçada em competências interdisciplinares de engenharia (matemática, física, química, computação), ciências naturais (como a biologia e a ecologia) e ciências sociais, integrando questões tecnológicas, ecológicas, económicas e sociais.

Compreender o funcionamento dos sistemas naturais; identificar e analisar as pressões sobre os sistemas ambientais e como podem ser ultrapassadas; avaliar e gerir recursos naturais como água e energia; entender processos industriais, urbanos e tecnológicos; e identificar soluções e oportunidades de inovação, são competências e capacidades que a LEA fornece. Privilegia-se a formação de base holística e o pensamento sistémico, as competências analíticas, a inovação e os modelos colaborativos. O objetivo último da LEA é fornecer soluções para as atividades económicas e sociais alinhadas para o desenvolvimento sustentável.

Plano curricular

Saídas profissionais

A natureza interdisciplinar da Licenciatura em Engenharia do Ambiente fornece aos seus diplomados um perfil único para trabalhar em inúmeras interfaces, essencial para lidar com sistemas complexos, e explorar oportunidades de trabalho num vasto leque de contextos profissionais. Os diplomados em Engenharia do Ambiente acrescentam valor a qualquer organização que tenha de lidar com questões ambientais e de sustentabilidade.

O elevado índice e a qualidade da empregabilidade atual dos profissionais de Engenharia do Ambiente, no mercado nacional e global, aumentará tendo em conta a transição ecológica que as economias começam a adotar. Saídas profissionais em múltiplos domínios incluem empresas de consultoria, auditoria ou empresas de serviços e utilities, indústria, organizações públicas como municípios ou estruturas de governo regional, organizações internacionais como Comissão Europeia, Agência Europeia do Ambiente ou outras organizações europeias.

Horário de funcionamento

Diurno, 8:00-18:00;

Propinas 2021/2022

Estudantes nacionais: 697 Euros/anual

Estudantes internacionais: 7000 Euros/anual
 
(Os estudantes de países da CPLP poderão candidatar-se a uma redução de até 50% da propina, mediante a avaliação das seguintes condições:

a) 1.º Inscrição: os estudantes devem evidenciar através dos seus certificados académicos que o seu desempenho escolar se situa no primeiro quartil da escala de avaliação utilizada no sistema do seu país ou escola de origem;
b) Inscrições posteriores (independentemente do ano de ingresso): exclusivamente por mérito escolar, isto é, aprovação em todas as UC em que o estudante se inscreveu no ano anterior, perfazendo 60 ECTS em cada ano.)

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2021/2022

Vagas para 2021/2022:

62

Provas específicas:

Um dos seguintes conjuntos: 

02 Biologia e Geologia +  19 Matemática A ou

07 Física e Química + 19 Matemática A

Classificação mínima na(s) prova(s) específica(s): 95

Classificação mínima na candidatura: 95

Fórmula de ingresso:

60% da classificação final do Secundário
40% da classificação final na(s) prova(s) específica(s)

Coordenador do curso:

Professor Pedro Coelho

lea.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Cr37/2021 em 10/02/2021

A3ES

Data de publicação da decisão de acreditação: 04/02/2021

Validade da acreditação:
6 anos contados a partir de 31/07/2020

Sobre o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente

O Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA) da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, criado em 1976, foi pioneiro no ensino da Engenharia do Ambiente integrando competências fundamentais de diversas engenharias, como a matemática, a física e a química, de áreas científicas, como a ecologia e a economia do ambiente, e novas tecnologias ambientais e digitais, assumindo a interdisciplinaridade como a sua principal marca.

Com um corpo docente de 36 professores doutorados, 70 investigadores, 10 técnicos e quatro colaboradores administrativos, o DCEA acolhe dois centros de investigação (CENSE e MARE) como pilares do ensino e do conhecimento que promove, trabalhando diariamente para concretizar a sua missão: Recentrar a Engenharia do Ambiente no Século XXI, como competência central no mercado de trabalho; motor de investigação, desenvolvimento e inovação; promotora de mudanças societais.

Dotado de laboratórios de ensino e investigação, suportado por projetos de investigação nacionais e internacionais, com a indústria e organismos de política pública, o DCEA assegura a formação de Engenheiros do Ambiente de elevada qualidade científica e técnica, preparados para o mercado nacional e internacional, numa vasta gama de funções e responsabilidades, incluindo a promoção do próprio emprego a partir de programas de inovação que gere como o Climate-KIC.

Saber mais