Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar

Ensino

Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar

Entrou em funcionamento no ano letivo de 2006/2007. O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).
Este curso só funcionará se tiver 10 ou mais inscrições confirmadas, conforme decisão do Conselho Executivo da FCT NOVA.

Objetivos

A produção de alimentos tornou-se, em muitas circunstâncias, um acto de carácter tão industrializado quanto possível, preocupando-se os seus responsáveis mais com os aspectos quantitativos do processo do que com a qualidade dos produtos. A complexidade das cadeias alimentares é crescente, traduzindo-se em interacções  múltiplas que podem estar na base de riscos para os consumidores, cujo controlo se vai assim tornando mais difícil. A Segurança Alimentar impõe por isso uma aproximação integrada e responsável, que se estende da produção ao consumidor de modo coerente, efectivo e dinâmico.

Com o Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar pretende-se assegurar as seguintes valências específicas:

  1. Capacidade de avaliação da qualidade do valor alimentar, quer de matérias-primas, quer de produtos transformados, de modo a contribuir assim para garantir, em colaboração com outros técnicos, a segurança do consumo alimentar e a saúde das populações;
  2. Capacidade de intervenção nos processos produtivos das indústrias alimentares, procurando optimizar o processo em si mesmo e minimizar os impactes ambientais dele decorrentes;
  3. Formação adequada à concepção de novos produtos, alimentares e outros, e à reformulação dos produtos correntes;
  4. Capacidade de intervenção nos processos de normalização e de certificação dos produtos e sistemas de produção e transformação de produtos e matérias-primas alimentares;
  5. Capacidade de gestão de emissões, efluentes e resíduos e outras disfunções originadas em processos de produção, transformação e distribuição em indústrias alimentares.

Plano curricular

Saídas profissionais

Os mestres em Tecnologia e Segurança Alimentar estarão aptos a trabalhar a nível de produção, controlo de qualidade e segurança alimentar nas indústrias agro-alimentares, bem como a desenvolver novos produtos e/ou melhorar os existentes. Poderão ainda desempenhar tarefas de investigação e desenvolvimento, bem como prestar serviços de consultadoria em Tecnologia e/ou Segurança Alimentar.

Regulamento

Horário de funcionamento:

Horário "compactado" - um dia e meio por semana (5.ª feira à tarde- semidiurno, 6.ª feira o dia completo e sábado de manhã) e/ou Horário pós-laboral em função do número de alunos inscritos.

Propinas:

Estudantes nacionais: 1.063,47 €/anual

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP)

Prazo de candidatura:

1ª fase: 6 de março a 23 de junho
2ª fase: 26 a 31 de agosto
3ª fase: 10 de janeiro a 10 de fevereiro de 2018

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2017/2018

Vagas para 2017/2018 :

35

Regras de acesso:

  1. Titulares do grau de licenciado (1.º ciclo do Processo de Bolonha) em qualquer área de Engenharia, Ciências Naturais ou Ciências Exactas, áreas afins ou equivalente legal, com um número mínimo de 180 ECTS;
  2. Titulares do grau de licenciado (pré-Bolonha) em qualquer área de Engenharia, Ciências Naturais ou Ciências Exactas, áreas afins ou equivalente legal;
  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos numa das áreas referidas no ponto 1, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  4. Titulares de um grau académico superior estrangeiro numa das áreas referidas no ponto 2, que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pela Comissão Científica do Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar;
  5. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pela Comissão Científica do Mestrado em Tecnologia e Segurança Alimentar

Critérios de seriação:

  1. Classificação de curso;
  2. Currículo académico e científico;
  3. Currículo profissional;
  4. Eventual entrevista.

Coordenadora do curso:

Professora Benilde Mendes

mtsa.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Ef 3115/2011 em 18/03/2011

A3ES

Acreditação em 22/07/2015, por 6 anos

Sobre o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa

O DCTB é o mais recente departamento da FCT, tendo sido criado em Fevereiro de 2011 pelo Despacho da Direcção nº 06/2011.

O DCTB resultou da evolução do ex-GDEH nas áreas de investigação e ensino das Ciências e Tecnologia da Biomassa destinadas a dois fins específicos:

a) Bioenergia (produção de energia a partir da biomassa)

b) Tecnologia e Segurança Alimentar

Saber mais