Mestrado em Engenharia do Ambiente

Ensino

Mestrado em Engenharia do Ambiente

A sustentabilidade do Planeta está cada vez mais no centro das agendas científica, política, empresarial e social, exigindo dos profissionais competências específicas e inovação. Indústrias limpas, planeamento das cidades, economia circular ou energias renováveis são exemplos de abordagens para lidar com problemas como alterações climáticas, perda de biodiversidade, escassez de água, degradação do solo, poluição do ar, resíduos perigosos e lixo marinho. Empresas, organizações e comunidades reconhecem o valor de um Planeta saudável para a economia e para a qualidade de vida das populações. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU incentivam todos os países e organizações a promover bens, serviços e políticas alinhadas com um planeta saudável para o futuro. O Acordo de Paris e o Pacto Ecológico Europeu estão a impulsionar a inovação e o investimento num novo paradigma de economia limpa. O Mestrado em Engenharia do Ambiente prepara os profissionais com uma visão sistémica, ferramentas e métodos para resolver estes problemas através da inovação. A FCT NOVA é o local para lidar com desafios da vida real, através de parcerias com empresas, instituições e ONG.

Objetivos

O Mestrado em Engenharia do Ambiente visa formar a próxima geração de profissionais para liderar o caminho para um ambiente e economia limpa e saudável, tendo em conta aspectos ecológicos, sociais, económicos e tecnológicos. O curso adota uma abordagem sistémica para treinar competências analíticas para a resolução de problemas, a inovação como um processo de valorização económica e social, e para promover a participação dos cidadãos na tomada de decisão. A natureza interdisciplinar do curso, cruzando ciências naturais, ferramentas de engenharia e métodos sociais, fornece aos profissionais um perfil único para lidar com sistemas complexos e trabalhar em diferentes contextos profissionais.
Os estudantes podem optar por Engenharia de Sistemas Ambientais (monitorização, modelação e gestão ambiental, ecodesign, tecnologias limpas, serviços de ecossistemas), ou Engenharia Sanitária (recursos hídricos, sistemas de saneamento, gestão e tratamento de resíduos). Os engenheiros do ambiente da NOVA são um ativo em qualquer organização, pois são capazes de criar valor para o mercado e sociedade. Isto justifica a sua elevada empregabilidade em muitos países do mundo.

Consulta o plano curricular do Mestrado em Engenharia do Ambiente- Perfil Engenharia Sistemas Ambientais aqui

Consulta o plano curricular do Mestrado em Engenharia do Ambiente- Perfil Engenharia Sanitária aqui

Candidatos

Os(as) candidatos(as) devem ter paixão por trabalhar por um Planeta saudável e acreditar que a economia e a sociedade devem ser transformadas para esse fim, com base na inovação, na ciência e na cooperação. Devem ser titulares do grau de licenciado, ou equivalente legal, em licenciaturas das áreas de engenharia, em particular de engenharia do ambiente ou áreas afins.
Engenheiros(as) experientes interessados em se atualizar ou adquirir novas competências são também candidatos bem-vindos.

Saídas profissionais

Em todos os domínios de atividade: especial vocação para trabalhos de natureza inter-disciplinar, uso de sistemas de informação e implementação de novos projectos, tecnológicos ou de gestão.
Consultoria e projecto: avaliação de impactes ambientais, avaliação ambiental estratégica, planeamento e ordenamento, avaliação de riscos,
monitorização, ecodesign, auditorias, reporte ambiental, estratégias de sustentabilidade, sistemas de tratamento de águas, resíduos e águas
residuais, recuperação de solos e habitats.
Indústria: (p.e. extractiva, petróleos, siderurgia e metalurgia, química, madeira, celulose e papel, materiais de construção, metalomecânica,
automóvel, electrónica, agro-alimentar, produtos de consumo): gestão ambiental, da energia, qualidade e segurança; gestão de resíduos e do
tratamento de águas residuais.
Empresas de comércio e serviços (p.e. distribuição, banca, seguros, turismo, transportes, infra-estruturas de energia e saneamento): gestão
ambiental, da energia, qualidade, segurança; responsabilidade social e sustentabilidade; gestão de operações.
Administração central, regional e local: nacional - formulação de legislação e planos nacionais sobre desenvolvimento sustentável, alterações climáticas, qualidade ambiental, conservação da natureza, gestão de águas e resíduos, fiscalidade e economia ambiental, avaliação e licenciamento de grandes projectos, inspecção ambiental. Regional e local - planeamento e ordenamento, gestão de sistemas de saneamento básico, gestão de áreas
classificadas, gestão do ambiente e energia nas instituições, educação ambiental.
Ensino e investigação: todas as áreas relacionadas com ambiente e desenvolvimento.

Propinas

Estudantes nacionais: 1250 Euros/anual

Estudantes internacionais: 7000 Euros/anual

Horário de funcionamento

Diurno, 8:00-18:00;

Candidaturas

1ª Fase: 15 fevereiro a 15 de março

2ª Fase: 1 de junho a 12 de julho

3ª Fase: 25 de julho a 28 de agosto

TAXA DE ACEITAÇÃO NO MESTRADO:
Os candidatos aceites terão de pagar (no prazo máximo de 7 dias seguidos a partir da data de colocação) uma taxa no valor de 100 euros, não reembolsável, a deduzir, após a matrícula, no valor total da propina.
O não-pagamento dentro deste prazo implica a exclusão automática do candidato. Não são consideradas exceções  nem pagamentos em atrasoQualquer pagamento realizado fora de prazo não será restituídomantendo-se o candidato excluído.

SABER MAIS

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2022/2023

Vagas para 2022/2023:

10 (1ª fase)

Regras de acesso:

Podem candidatar-se ao Mestrado em Engenharia do Ambiente:
a) Titulares do grau de licenciado, ou equivalente legal, em licenciaturas das áreas de engenharia, em particular de engenharia do ambiente ou áreas afins;
b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro, nas áreas referidas em (a), conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
c) Titulares de um grau académico superior estrangeiro, nas áreas referidas em (a), que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo Conselho Científico da FCT NOVA;
d) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente.

Critérios de seriação:

Na seriação dos candidatos serão considerados os seguintes critérios:
- Classificação do curso;
- Afinidade do curso à Engenharia do Ambiente;
- Currículo académico, científico e profissional;
- Eventual carta de motivação ou entrevista.

Coordenador do curso:

Professor João Joanaz de Melo

mea.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Cr58/2021 em 26/02/2021

A3ES

Data de publicação da decisão de acreditação: 04/02/2021

Validade da acreditação:
6 anos contados a partir de 31/07/2020

Sobre o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente

O Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA) da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, criado em 1976, foi pioneiro no ensino da Engenharia do Ambiente integrando competências fundamentais de diversas engenharias, como a matemática, a física e a química, de áreas científicas, como a ecologia e a economia do ambiente, e novas tecnologias ambientais e digitais, assumindo a interdisciplinaridade como a sua principal marca.

Com um corpo docente de 36 professores doutorados, 70 investigadores, 10 técnicos e quatro colaboradores administrativos, o DCEA acolhe dois centros de investigação (CENSE e MARE) como pilares do ensino e do conhecimento que promove, trabalhando diariamente para concretizar a sua missão: Recentrar a Engenharia do Ambiente no Século XXI, como competência central no mercado de trabalho; motor de investigação, desenvolvimento e inovação; promotora de mudanças societais.

Dotado de laboratórios de ensino e investigação, suportado por projetos de investigação nacionais e internacionais, com a indústria e organismos de política pública, o DCEA assegura a formação de Engenheiros do Ambiente de elevada qualidade científica e técnica, preparados para o mercado nacional e internacional, numa vasta gama de funções e responsabilidades, incluindo a promoção do próprio emprego a partir de programas de inovação que gere como o Climate-KIC.

Saber mais