Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis

Ensino

Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis

O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis (MEER) entrou em vigor a partir do ano letivo 2016/2017, na sequência das alterações efetuadas ao extinto Mestrado em Energias Renováveis – Conversão Eléctrica e Utilização Sustentáveis (MERCEUS), que funcionou de 2008/2009 a 2015/16.

O MEER é da responsabilidade do Departamento de Engenharia Eletrotécnica (DEE), em colaboração com o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA), o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) e o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (DCTB).

O número mínimo de créditos para a obtenção do grau é de 120 (2 anos).

Este curso só funcionará se tiver 10 ou mais inscrições confirmadas, conforme decisão do Conselho Executivo da FCT NOVA.

Objetivos

O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis visa formar engenheiros capazes de intervir em empreendimentos de energias renováveis, capacitando-os para conceber, projetar, analisar, conduzir e gerir estes empreendimentos, nos seus aspetos técnicos, ambientais e económicos, tanto em ambiente empresarial como de investigação.

As competências proporcionadas dão uma visão alargada da problemática da energia em geral e das renováveis em particular, e uma formação técnica aprofundada de alguns tipos de aproveitamentos.

O curso transmite uma visão orientada principalmente (mas não exclusivamente) para a conversão elétrica, com uma preocupação com os aspetos ambientais e económico-legais associados ao aproveitamento de energias renováveis.

O MEER é lecionado em português. Contudo, alguns docentes poderão, por sua iniciativa, usar o inglês em parte das aulas, ou em acompanhamento tutorial, para benefício de estudantes estrangeiros.

Plano curricular

Saídas profissionais

Os Mestres em Engenharia de Energias Renováveis estarão aptos a trabalhar em Empresas de Serviços Energéticos, exercendo atividade como consultores de energias renováveis (efetuando auditorias e análises de eficiência energética e colaborando na avaliação de impacto ambiental), e como projetistas de aproveitamentos solares.

Poderão ainda exercer funções profissionais no sector industrial, no sector de serviços, na administração central, regional ou local, entre outros, e ainda desempenhar tarefas de investigação e desenvolvimento (I&D) em sectores como instituições de ensino superior, laboratórios ou indústrias.

Horário de funcionamento:

Diurno

Propinas:

Estudantes nacionais: 1063,47 €/anual (valores referentes ao ano lectivo passado e sujeitos a actualização para 2018/19)

Estudantes internacionais: 7000 €/anual (Redução de 60% para estudantes da CPLP) (valores referentes ao ano lectivo passado e sujeitos a actualização para 2018/19)

Prazo de candidatura:

23 de Abril a 16 de Julho de 2018

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2018/2019

Vagas para 2018/2019 :

30

Regras de acesso:

Podem candidatar-se ao Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis:

  1. Licenciados (ou equivalente) na área de engenharia, nomeadamente electrotécnica, mecânica, química,  de ambiente, de energias renováveis, física, ou áreas afins;
  2. Titulares de um grau académico superior (1º ciclo) estrangeiro numa das áreas atrás referidas, ministrado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro numa das áreas referidas, que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCT/UNL  como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado;
  4. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCT/UNL como atestando capacidade para realização deste Mestrado.

Critérios de seriação:

Classificação de licenciatura;

Curriculum académico e científico;

Curriculum profissional;

Desempenho em eventual entrevista.

Coordenador do curso:

Professor Mário Ventim Neves

mer.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A -Ef 3098/2011/AL01 em 21/01/2016

A3ES

Acreditação em 21/04/2017, por 6 anos

Sobre o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente

O Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA) da FCT NOVA, criado em 1976, foi pioneiro no ensino da Engenharia do Ambiente integrando competências fundamentais de diversas engenharias, como a matemática, a física e a química, com áreas científicas, como a ecologia e a economia do ambiente, e novas tecnologias ambientais e digitais, assumindo a interdisciplinaridade como a sua principal marca.

Com um corpo docente de 36 professores doutorados, 70 investigadores, 10 técnicos e 4 colaboradores administrativos, o DCEA acolhe dois centros de investigação (CENSE e MARE) como pilares do ensino e do conhecimento que promove, trabalhando diariamente para concretizar a sua missão: Recentrar a Engenharia do Ambiente no Século XXI, como competência central no mercado de trabalho; motor de investigação, desenvolvimento e inovação; promotora de mudanças societais.

Dotado de laboratórios de ensino e investigação, suportado por projetos de investigação nacionais e internacionais, com a indústria e organismos de política pública, o DCEA assegura a formação de Engenheiros do Ambiente de elevada qualidade científica e técnica, preparados para o mercado nacional e internacional, numa vasta gama de funções e responsabilidades, incluindo a promoção do próprio emprego a partir de programas de inovação que gere como o Climate-KIC.

Saber mais

Sobre o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa

O DCTB é o mais recente departamento da FCT, tendo sido criado em Fevereiro de 2011 pelo Despacho da Direcção nº 06/2011.

O DCTB resultou da evolução do ex-GDEH nas áreas de investigação e ensino das Ciências e Tecnologia da Biomassa destinadas a dois fins específicos:

a) Bioenergia (produção de energia a partir da biomassa)

b) Tecnologia e Segurança Alimentar

Saber mais

Sobre o Departamento de Engenharia Electrotécnica

O Departamento de Engenharia Electrotecnica (DEE) constitui uma unidade de ensino e investigação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA),  vocacionada para o progresso,  investigação, qualidade de ensino e prestação à comunidade de serviços especializados na área de Engenharia Electrotecnica e de Computadores.

O DEE/FCT/UNL foi criado em 1993, para promoção do ensino e da investigação científica nos domínios da Engenharia Electrotécnica. No ano lectivo 1994/1995 foi criada a Licenciatura em Engenharia Electrotecnica (LEE). 

Actualmente, o Departamento de Engenharia Electrotecnica tem uma participação maioritária e, consequentemente, a responsabilidade da leccionação de um  Mestrado em Integrado em Engenharia Electrotecnica e de Computadores-MIEEC, um Mestrado em Engenharia Electrotecnica Sistemas e Computadores- MEESC (2º Ciclo - Processo Bolonha), um Mestrado em Energias Renováveis Conversão Eléctrica e Utilização Sustentavel- MERCEUS  (2º Ciclo - Processo Bolonha) e um Programa Doutoral em Engenharia Electrotecnica e Computadores -PDEEC  (3º Ciclo - Processo Bolonha). 

O DEE é constituído por 44 docentes, dos quais 40 são doutorados.

Saber mais

Sobre o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

O Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) é uma unidade orgânica permanente da FCT NOVA, vocacionada para o ensino, para a investigação científica fundamental e aplicada e para a prestação de serviços nos domínios da Engenharia Industrial e da Engenharia Mecânica. O DEMI tem a seu cargo dois mestrados integrados (Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Mecânica), quatro mestrados (Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Mecânica, Engenharia Industrial e Engenharia da Soldadura), dois programas de doutoramento e ainda várias pós-graduações.

O DEMI conta actualmente com 38 docentes e com 5 funcionários. Os professores do Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial colaboram, a diferentes títulos, com diversas instituições públicas e privadas, nomeadamente no desenvolvimento de projectos de investigação em áreas científicas e tecnológicas de relevância para a Engenharia Industrial e para a Engenharia Mecânica.

Saber mais