Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis

Ensino

Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis

 O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis (MEER) entrou em vigor a partir do ano letivo 2016/2017, na sequência das alterações efetuadas ao extinto Mestrado em Energias Renováveis – Conversão Eléctrica e Utilização Sustentáveis (MERCEUS), que funcionou de 2008/2009 a 2015/16.

O MEER é da responsabilidade do Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC), em colaboração com o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA), o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) e o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (DCTB).

Objetivos

O MEER visa formar engenheiros capazes de intervir em empreendimentos de energias renováveis, capacitando-os para conceber, projetar, analisar, conduzir e gerir estes empreendimentos, nos seus aspetos técnicos, ambientais e económicos, tanto em ambiente empresarial como de investigação.

As competências proporcionadas dão uma visão alargada da problemática da energia em geral e das renováveis em particular, e uma formação técnica aprofundada de alguns tipos de aproveitamentos. 

O curso transmite uma visão orientada principalmente (mas não exclusivamente) para a conversão elétrica, com uma preocupação com os aspetos ambientais e económico-legais associados ao aproveitamento de energias renováveis. 

Informações mais detalhadas sobe este Mestrado podem ser obtidas no Regulamento do MEER.

Plano curricular

Saídas profissionais

Os Mestres em Engenharia de Energias Renováveis estarão aptos a trabalhar em Empresas de Serviços Energéticos, exercendo atividade como consultores de energias renováveis (efetuando auditorias e análises de eficiência energética e colaborando na avaliação de impacte ambiental), e como projetistas de aproveitamentos solares.
Poderão ainda exercer funções profissionais no sector industrial, no sector de serviços, na administração central, regional ou local, entre outros, e ainda desempenhar tarefas de investigação e desenvolvimento (I&D) em sectores como instituições de ensino superior, laboratórios ou indústrias.

Propinas (aguardam aprovação do Conselho Geral da NOVA)

Estudantes nacionais: 1500 Euros/anual

Estudantes internacionais: 7000 Euros/anual
 
(Os estudantes de países da CPLP poderão candidatar-se a uma redução de até 50% da propina, mediante a avaliação das seguintes condições:

a) 1º Inscrição: os estudantes devem evidenciar através dos seus certificados académicos que o seu desempenho escolar se situa no primeiro quartil da escala de avaliação utilizada no sistema do seu país ou escola de origem;
b) Inscrições posteriores (independentemente do ano de ingresso): exclusivamente por mérito escolar, isto é, aprovação em todas as UC em que o estudante se inscreveu no ano anterior, perfazendo 60 ECTS em cada ano.)

 

Horário de funcionamento

Diurno

Candidaturas

1ª Fase: 17 a 28 de fevereiro 2021
2ª Fase: 18 de junho a 22 de julho 2021
3ª Fase: 30 de agosto a 5 de setembro

Os candidatos aceites terão de pagar (no prazo máximo de 7 dias seguidos a partir da data de colocação) uma taxa no valor de 100 euros, não reembolsável, a deduzir, após a matrícula, no valor total da propina.
O não-pagamento dentro deste prazo implica a exclusão automática do candidato. Não são consideradas exceções  nem pagamentos em atrasoQualquer pagamento realizado fora de prazo não será restituídomantendo-se o candidato excluído.
 

O Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis (MEER) entrou em vigor a partir do ano letivo 2016/2017, na sequência das alterações efetuadas ao extinto Mestrado em Energias Renováveis – Conversão Eléctrica e Utilização Sustentáveis (MERCEUS), que funcionou de 2008/2009 a 2015/16.

O MEER é da responsabilidade do Departamento de Engenharia Eletrotécnica (DEE), em colaboração com o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA), o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) e o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (DCTB).

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2021/2022

Vagas para 2021/2022:

30

Regras de acesso:

Podem candidatar-se ao Mestrado em Engenharia de Energias Renováveis:

  1. Licenciados (ou equivalente) na área de engenharia, nomeadamente electrotécnica, mecânica, química,  de ambiente, de energias renováveis, física, ou áreas afins;
  2. Titulares de um grau académico superior (1º ciclo) estrangeiro numa das áreas atrás referidas, ministrado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro numa das áreas referidas, que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCT/UNL  como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado;
  4. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido pelo Conselho Científico da FCT/UNL como atestando capacidade para realização deste Mestrado.

Critérios de seriação:

Classificação de licenciatura;

Curriculum académico e científico;

Curriculum profissional;

Desempenho em eventual entrevista.

Coordenador do curso:

Professor João Miguel Murta Pina

mer.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A -Ef 3098/2011/AL01 em 11/11/2015

A3ES

Acreditação em 21/04/2017, por 6 anos

Sobre o Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores

O Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores (DEEC) constitui uma unidade de ensino e investigação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT NOVA),  vocacionada para o progresso,  investigação, qualidade de ensino e prestação à comunidade de serviços especializados na área de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores.

O DEE/FCT NOVA foi criado em 1993, para promoção do ensino e da investigação científica nos domínios da Engenharia Eletrotécnica. No ano letivo 1994/1995 foi criada a Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica (LEE). 

Atualmente, o Departamento de Engenharia Eletrotécnica e de Computadores tem uma participação maioritária e, consequentemente, a responsabilidade da lecionação de um Mestrado Integrado em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores-MIEEC, um Mestrado em Engenharia Eletrotécnica Sistemas e Computadores- MEESC (2.º Ciclo - Processo Bolonha), um Mestrado em Energias Renováveis Conversão Elétrica e Utilização Sustentável- MERCEUS  (2.º Ciclo - Processo Bolonha) e um Programa Doutoral em Engenharia Eletrotécnica e Computadores -PDEEC  (3.º Ciclo - Processo Bolonha). 

O DEEC é constituído por 44 docentes, dos quais 40 são doutorados.

SABER MAIS 

Sobre o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente

O Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente (DCEA) da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, criado em 1976, foi pioneiro no ensino da Engenharia do Ambiente integrando competências fundamentais de diversas engenharias, como a matemática, a física e a química, de áreas científicas, como a ecologia e a economia do ambiente, e novas tecnologias ambientais e digitais, assumindo a interdisciplinaridade como a sua principal marca.

Com um corpo docente de 36 professores doutorados, 70 investigadores, 10 técnicos e quatro colaboradores administrativos, o DCEA acolhe dois centros de investigação (CENSE e MARE) como pilares do ensino e do conhecimento que promove, trabalhando diariamente para concretizar a sua missão: Recentrar a Engenharia do Ambiente no Século XXI, como competência central no mercado de trabalho; motor de investigação, desenvolvimento e inovação; promotora de mudanças societais.

Dotado de laboratórios de ensino e investigação, suportado por projetos de investigação nacionais e internacionais, com a indústria e organismos de política pública, o DCEA assegura a formação de Engenheiros do Ambiente de elevada qualidade científica e técnica, preparados para o mercado nacional e internacional, numa vasta gama de funções e responsabilidades, incluindo a promoção do próprio emprego a partir de programas de inovação que gere como o Climate-KIC.

Saber mais

Sobre o Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa

O Departamento de Ciências e Tecnologia da Biomassa (DCTB) é o mais recente departamento da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, tendo sido criado em Fevereiro de 2011 pelo Despacho da Direção nº 06/2011.

O DCTB resultou da evolução do ex-GDEH nas áreas de investigação e ensino das Ciências e Tecnologia da Biomassa destinadas a dois fins específicos:

a) Bioenergia (produção de energia a partir da biomassa)

b) Tecnologia e Segurança Alimentar

Saber mais

Sobre o Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial

O Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial (DEMI) é uma unidade orgânica permanente da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, vocacionada para o ensino, para a investigação científica fundamental e aplicada e para a prestação de serviços nos domínios da Engenharia Industrial e da Engenharia Mecânica. O DEMI tem a seu cargo dois mestrados integrados (Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Mecânica), quatro mestrados (Engenharia e Gestão Industrial, Engenharia Mecânica, Engenharia Industrial e Engenharia da Soldadura), dois programas de doutoramento e ainda várias pós-graduações.

O DEMI conta atualmente com 38 docentes e com cinco funcionários. Os professores do Departamento de Engenharia Mecânica e Industrial colaboram, a diferentes títulos, com diversas instituições públicas e privadas, nomeadamente no desenvolvimento de projetos de investigação em áreas científicas e tecnológicas de relevância para a Engenharia Industrial e para a Engenharia Mecânica.

Saber mais