Mestrado em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis

Ensino

Mestrado em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis

Objetivos

Os eixos fundamentais de formação do Mestrado em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis são a avaliação de recursos disponíveis para a produção de bioenergia e o estudo de tecnologias sustentáveis para a conversão de biomassa e resíduos, em articulação com a Diretiva Europeia sobre a Promoção do Uso de Energia a partir de Fontes Renováveis (Diretiva UE 2018/2001 de 11 de Dezembro de 2018) e a Diretiva Europeia sobre Resíduos (Diretiva UE 2018/851, de 30 de maio de 2018). Os mestres em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis adquirem conceitos e ferramentas necessários para intervirem nas áreas de produção de biomassa, bioenergia e biomateriais incluindo a valorização de resíduos e efluentes através de estratégias integradas de Bioeconomia e Economia Circular.
As competências técnico-científicas de um Mestre em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis são as seguintes:

  1. Capacidade de propor projetos sustentáveis de produção de energia a partir de biomassa e resíduos, de modo a contribuir para a promoção da Bioeconomia e da Economia Circular.
  2. Capacidade de propor projetos de valorização de recursos de biomassa, segundo o conceito de Biorefinaria, de modo a contribuir para gerar valor acrescentado a nível local, regional e nacional;
  3. Capacidade de conceber projetos inovadores de conversão de biomassa resíduos ou efluentes, para produção de Hidrogénio, Metano, Gás de síntese, Biocarvões e Biocombustíveis avançados por Tecnologias Termoquímicas ou Bioquímicas;
  4. Capacidade de avaliar e melhorar a viabilidade económica e a sustentabilidade de processos de conversão de recursos renováveis, por maximização da sua Eficiência Energética e Análise do seu Ciclo de vida.
  5. Capacidade de intervenção nos processos de normalização e de certificação de novos produtos e sistemas de produção de Bioenergia, Biocombustíveis e Biomateriais.

Plano curricular

Saídas profissionais

Os Mestres em Bioenergia e Tecnologias Sustentáveis estão aptos a trabalhar em processos de produção, controlo de qualidade e segurança nas áreas de produção de biomassa, bioenergia, biocombustíveis e biomateriais, bem como na área de valorização de resíduos e efluentes, em empresas, entidades administrativas e entidades sem fins lucrativos dos setores florestal, agrícola e agroalimentar, energético e de gestão de resíduos.

Poderão ainda desempenhar tarefas de investigação e desenvolvimento em entidades do Sistema Científico Nacional público e privado (Universidades, Institutos Politécnicos e Indústria) e tarefas de consultadoria em Bioenergia abrangendo os tópicos referidos acima.

Propinas

Estudantes nacionais: 1500 Euros/anual

Estudantes internacionais: 7000 Euros/anual
(Os estudantes de países da CPLP poderão candidatar-se a uma redução de até 50% da propina, mediante a avaliação das seguintes condições:

a) 1º Inscrição: os estudantes devem evidenciar através dos seus certificados académicos que o seu desempenho escolar se situa no primeiro quartil da escala de avaliação utilizada no sistema do seu país ou escola de origem;
b) Inscrições posteriores (independentemente do ano de ingresso): exclusivamente por mérito escolar, isto é, aprovação em todas as UC em que o estudante se inscreveu no ano anterior, perfazendo 60 ECTS em cada ano.)

Regulamento

Horário de funcionamento

Horário compactado (três dias por semana)

Candidaturas

1ª Fase: 15 fevereiro a  15 de março

2ª Fase: 1 de junho a 12 de julho

3ª Fase: 25 de julho a 28 de agosto


Os candidatos aceites terão de pagar (no prazo máximo de 7 dias seguidos a partir da data de colocação) uma taxa no valor de 100 euros, não reembolsável, a deduzir, após a matrícula, no valor total da propina.
O não-pagamento dentro deste prazo implica a exclusão automática do candidato. Não são consideradas exceções  nem pagamentos em atrasoQualquer pagamento realizado fora de prazo não será restituídomantendo-se o candidato excluído.

Candidaturas

Condições de acesso para o ano letivo de 2022/2023

Vagas para 2022/2023:

20

Regras de acesso:

  1. Titulares do grau de licenciado (1º ciclo do Processo de Bolonha) em qualquer área de Engenharia, Ciências Naturais ou Ciências Exactas, áreas afins ou equivalente legal, com um número mínimo de 180 ECTS;
  2. Titulares do grau de licenciado (pré-Bolonha) em qualquer área de Engenharia, Ciências Naturais ou Ciências Exactas, áreas afins ou equivalente legal;
  3. Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos numa das áreas referidas no ponto 1, organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;
  4. Titulares de um grau académico superior estrangeiro numa das áreas referidas no ponto 2, que seja reconhecido como satisfazendo os objectivos do grau de licenciado pela Comissão Científica do Mestrado em Energia e Bioenergia;
  5. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pela Comissão Científica do Mestrado em Energia e Bioenergia.

Critérios de seriação:

  1. Classificação de curso;
  2. Currículo académico e científico;
  3. Currículo profissional;
  4. Eventual entrevista.

Coordenadora do curso:

Professora Maria Margarida Gonçalves

Com a colaboração:

mbts.coordenador@fct.unl.pt

Registo e Acreditação

DGES

Registo n.º R/A-Ef 3097/2011/AL02 em 29/05/2022

A3ES

Data de publicação da decisão de acreditação: 10/02/2022

Validade da acreditação:
6 anos contados a partir de 31/07/2020

Sobre o Departamento de Química

O Departamento de Química (DQ) constitui uma unidade de ensino e de investigação da NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA, vocacionada para a qualidade do ensino, o progresso da investigação e a prestação de serviços especializados à comunidade nas áreas fundamentais da Química, Engenharia Química e Bioquímica e Biofísica. O DQ, criado em 1981, tem reconhecida implementação no mercado de ensino e de trabalho, em particular devido à então novidade e especificidade introduzida pela Licenciatura em Química Aplicada, com o qual se iniciou o ensino da Química na Faculdade.

Saber mais